Cervejaria Verace: entrevista com o mestre cervejeiro Túlio Silva

Visitamos a Cervejaria Verace, que no dia 16 de setembro próximo comemora seu primeiro aniversário. Entrevistamos o Mestre-Cervejeiro Túlio, buscando um pouco da história e visão de uma das cervejarias mineiras mais completas e que tem assumido importante papel no cenário cervejeiro nacional.

Em uma entrevista descontraída, o Mestre-Cervejeiro, nos concedeu um verdadeiro bate-papo aberto (entrevista realizada em 01/09/2017):

  • Fale um pouco da trajetória da cervejaria. Como surgiu a ideia de criá-la? Qual a sua história?

Bem,  tudo começou quando eu e meus outros dois sócios, Eduardo e Alessandro, trabalhávamos juntos em uma indústria de cimento por volta dos anos 1999/2000, como engenheiros, trabalhando na construção da empresa. Findo o desenvolvimento deste trabalho, seguimos rumos diferentes, mas havíamos, já, conquistado uma amizade, que veio totalmente ao acaso, por conta do mercado. O nome Verace é uma abreviatura do latim “Vera Cerevisiae” porque a cervejaria está voltada para apoiar o seguimento “craft” e isso vem da ideia da defesa da cerveja de verdade, como era dito naquela época. A logo da empresa é um leão estilizado, inspirado no leão esculpido em pedra-sabão de um dos profetas do artista Aleijadinho.

Fui morar nos EUA, de 2008 a 2012, e por lá comecei a participar do universo homebrew. Enquanto isso, Eduardo e Alessandro, encampavam outros empreendimentos em Minas Gerais. Eu e Alessandro temos raízes em Minas Gerais e Eduardo é de São Paulo.

Você conhece as cervejarias ciganas? Saiba mais aqui…

A equipe Verace: Túlio (mais abaixo), Eduardo (mais acima) e Alessandro (ao meio)

Na volta para o Brasil, reencontrei o Eduardo e juntos fomos para Brasília realizar um novo projeto de engenharia. Nesse período, exploramos os conhecimentos adquiridos nos EUA e criamos uma nano para produção de 50 litros, fazendo, na oportunidade, alguns cursos de produção.

Em 2014, já desejávamos realizar algum tipo de investimento juntos e, observando a expertise de cada um, decidimos estudar a sério o assunto. Em março de 2015 já havíamos coletado os dados completos referentes ao mercado, momento em que contactamos alguns especialistas, em especial, o Evandro Zanini.

A partir daí, tudo foi muito rápido: em dezembro de 2015 foram iniciadas as obras em Nova Lima; em março de 2016, foram instalados os equipamentos e em julho do mesmo ano foram feitos os primeiros testes, mas foi em setembro de 2016 que a fábrica começou a operar oficialmente.

  • Existe algum tipo de motivação especial para seguir empreendendo no ramo de cervejaria?

Existe. Entendo que o setor craft representa um mercado de oportunidades que cresce. Mas essa visão, vem da experiência que absorvemos quando ainda estávamos no setor da indústria de cimento.

Guia completo da regulamentação da cerveja artesanal no Brasil: entenda a dificuldade do setor em ser regularizado

Toda indústria, para ser estável, necessita de um tripé que não vem sendo observado em boa parte das empresas do setor: produção, comercial e administrativo/financeiro. Um dos fatores do sucesso da Verace é o fato de que cada um dos sócios está atrelado à função que adotou na empresa.

  • Fazer cerveja é sempre um desafio. Gostaria que você comentasse um pouco sobre isso: qual seria o maior desafio de se fazer cerveja?

Vender com lucro“; é preciso ter muita atenção para o fluxo de caixa. A grande dificuldade é realmente a tributação. Se pudéssemos, ao menos, ser mais parecidos com países como os EUA, o setor teria outra cara.

primeiro degrau entre o deixar de ser homebrew e o passar a ser o profissional de cervejaria é outro grande obstáculo para quem começa. Além disso, a grande informalidade do mercado é outro fator desafiador.

  • Qual o grande diferencial do estilo Verace no negócio de cervejaria?
Alguns dos principais rótulos da Verace

Entendo que seja o fluxo de caixa: vender com lucro e manter o tripé empresarial que lhe mencionei antes. A maior diferença que vejo entre a Verace e boa parte do mercado craft é o fato de haver uma grande mobilização em função da paixão pela produção, mas faltar organização em relação aos demais sustentáculos que permitem que a cervejaria permaneça operando sadiamente. Não adianta nada fazer uma excelente cerveja, se a empresa não está preparada nas demais áreas do negócio.

Agradecemos ao Túlio e à toda equipe da Verace pela entrevista.
Parabéns pelo primeiro ano e muito sucesso nos seguintes!

Para visitar:

Cervejaria Verace – http://cervejariaverace.com.br/
Av. Canadá, 212 – Jardim Canadá
Nova Lima, MG