Pão de Queijo harmoniza com Cerveja?

Aquele pão de queijo cai bem com tudo, não é mesmo!? Mas cai bem também com cerveja? Descubra!

O pão de queijo é uma receita típica brasileira, cuja origem se deu no Estado de Minas Gerais. Os locais exatos em que foram preparados os primeiros pães de queijo são incertos, mas especula-se que a receita exista desde o século XVIII e transitava entre as regiões de Minas Gerais e Goiás. Contudo, a iguaria somente tornou-se efetivamente popular no Brasil a partir da década de 1950 com o início da urbanização brasileira.

Kellerbier: um estilo bem guardado. Conheça

No século XVIII a farinha de trigo que chegava de Portugal, além de ser cara não possuía uma alta qualidade. Para continuar preparando biscoitos de goma, que eram o costume da época, as cozinheiras das fazendas substituíram a farinha por polvilho. Aos poucos, foram incorporando ao biscoito de goma os queijos que endureciam e não seriam consumidos.

Assim, o pão de queijo surgiu como biscoito de goma e, apesar de ser denominado como “pão”, na verdade, não utiliza fermento biológico ou químico e consiste basicamente em um tipo de biscoito de polvilho, azedo ou doce, acrescido de ovos, sal, banha de porco, óleo vegetal e derivados de queijo de leite de vaca, de consistência macia e elástica. Mas isso tudo serve apenas para aqueles que se apegam a rigores técnicos. Na prática, ele se reveste de todos os costumes que envolvem os pães.

A receita tradicional deve ter cinquenta por cento de polvilho doce e cinquenta por cento de polvilho azedo. Essa combinação resulta num pão de queijo com mais volume, com a textura mais porosa, o miolo mais macio e mais leve e crocante por fora com todas as suas características mais conhecidas.

Mas como harmonizar com cervejas?

Ao pensarmos em harmonização de alimentos, devemos pensar que os acompanhamentos ou os ingredientes que compõem sua receita podem modificar a experiência gustativa. Por exemplo: o pão de queijo poderá ser servido recheado, suponha-se com goiabada, ou ainda, planejado como se fosse um sanduíche. O céu é o limite aqui em termos de criatividade. Assim, quando você for planejar associar algum tipo de pão de queijo com cervejas, fique atento a este detalhe.

Conheça também: harmonização de churrascos

Pão de queijo com “café” – Porter da Wynkoop Brewery, Denver, CO

Pensando no pão de queijo em si, suas características gustativas são algum sabor de pão ou biscoito, devido ao polvilho e os ovos e, claro, o preponderante sabor de queijo. A intensidade do alimento é mediana e nele nós encontramos bastante umami e sal, bem como alguma defumação. Além disso, é um alimento com uma textura bastante untuosa por causa do óleo ou da banha, sobretudo no miolo.

Pensando apenas nessas características, o ideal passa a ser cervejas de corpo médio a leve, mas que possam emprestar algum amargor e caramelização a mais, porém sem exageros. Alguma tosta é bem-vinda, devido ao leve defumado dos pães de queijo. American red ales mais equilibradas combinam maravilhosamente bem por contraste. Por complementação, cervejas que apresentem notas tostadas aparentando café podem produzir efeito semelhante ao da bebida em si. Afinal, se pão de queijo é servido costumeiramente com café, nada impede que seja acompanhado de uma dry stout.

Que tal experimentar sua próxima harmonização com as seguintes opções:

  • American Red Ale – Brew Dog 5 AM (5,0% alc. vol.);
  • Anderson Valley Boont Amber Ale (5,8% alc. vol.);
  • Brüder American Red Lager (5,5% alc. vol.);
  • Dry Stout – Guinness Draught (4,2 % alc. vol.)
  • Fuller’s Black Cab (4,2% alc. vol.)
  • Dama Bier Stout (5,5 % alc. vol.).